domingo, 15 de maio de 2016

Taxa Selic e o controle artificial da inflação

Você já deve ter ouvido falar que o Brasil tem a maior taxa de juros do mundo, e deve também ter visto na TV as notícias de que foi aumentada a taxa Selic pelo tal de Copom.
Mas você entendeu?
Copom é o Comitê de Política Monetária do Banco Central. Dentre suas atribuições, está a de fixar a taxa básica de juros, conhecida por taxa Selic, que é a taxa de juros praticada em empréstimos interbancos. Essas operações, chamadas overnight, são necessárias nas vezes que os bancos fecham o dia com balanço negativo, a fim de garantir a liquidez dos mesmos, obrigatória pelo sistema financeiro nacional. Por isso, para não fecharem o dia no vermelho, muitos bancos pegam dinheiro emprestado, por um dia, e pagam os juros definidos pela taxa Selic.
Mas como diabos a taxa Selic influencia a inflação? É o seguinte: quando os empréstimos entre os bancos ficam mais caros, por causa da taxa de juros mais alta, os bancos costumam repassar esse custo para os correntistas, aumentando os juros para eles obterem crédito. Isso faz com que o chamado spread bancário, que é a diferença entre o que o banco paga a você quando investe seu dinheiro e o que você paga ao banco quando pega dinheiro emprestado fique muito alta. Assim, com o crédito caro, as pessoas tendem a se endividar com mais cautela, evitando consumir em excesso.
Por isso, como o consumo (procura) cai, de repente os fornecedores se vêem cheios de mercadorias (oferta). Pela lei da oferta e da procura, oferta alta e procura baixa tende a fazer os preços baixarem ou pelo menos não aumentarem.
O problema é que isso é uma facada no coração dos empresários, pois como as vendas caem, logo eles demitem, fecham fábricas e lojas, falem. Resultado: recessão.
Mas dá para fazer de outro jeito? Dá! Baixando os juros, num primeiro momento, a inflação pode até subir, pois a procura aumenta e a oferta, que tinha diminuído, talvez não atenda de imediato, causando alta nos preços. Entretanto, com o tempo, os empresários contratarão mais para produzir mais, fazendo automaticamente aumentar o consumo, pois os novos empregados, com seu salário, também consumirão e isso aquecerá o mercado, fazendo surgir novas empresas, aumentando a livre concorrência, forçando os empresários a manter os preços num patamar controlado para não perder mercado. Isso aumenta o desenvolvimento, aquece a economia, aumenta o PIB, faz a tecnologia se desenvolver, pois o mercado demanda.
E porque o governo não faz isso? O governo adotou uma forma de tentar conter a inflação na marra, que pode funcionar num primeiro momento, mas com o tempo congela o país na recessão. Tudo para ganhar eleições. De dois em dois anos, há eleições no Brasil. Não dá tempo de esperar a economia se curar com mais liberalismo. Assim, eles arrocham além da conta, preocupados com o número que aparece nos indicadores econômicos.
Espera-se que um governo mais liberal possa entender que o caminho contrário possa representar a recuperação da nossa economia.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Que venham tempos de paz

O processo de impeachment

Ontem foi afastada a Presidente da República, por 180 dias, no processo  de Impeachment.
Após ser admitido por 367 dos 513 deputados, o processo foi instaurado pelo voto de 55 dos 78 senadores presentes na sessão (22 votaram contra, o presidente não votou).
Michel Temer, o vice-presidente, tomou posse e já relizou algumas mudanças, pela extinção e pela fusão de alguns ministérios, extinção de verbas para propagandas do governo, iniciou o processo que vai colocar na rua milhares de não concursados etc.
Seu discurso é que vai fazer uma faxina. Se fizer mesmo, será ótimo para o Brasil. A redução dos gastos públicos é  urgente.
Mas muita coisa deve mudar a partir de agora.
O fim das remessas de dinheiro para os países contaminados pelo bolivarianismo, novo nome dado aos comunistas. Fim dos empréstimos a juros baixíssimos a outros países sem nenhuma garantia de pagamento. Fim de médicos estrangeiros fazendo a festa aqui sem nenhuma prova que teste sua competência e nem mesmo nenhuma comprovação de que são mesmo médicos. Fim dos discursos envergonhadores, que nos insultavam os sentidos.
Isso mesmo, chega de saudar a mandioca, de mulheres sapiens, de tentar enfiar a pasta no dentífricio e de estocar vento. Pelo início de discursos objetivos, preparados, principalmente em congressos internacionais, uma vez que a imagem do Brasil está em jogo, e isso é determinante para a vinda de investimentos estrangeiros para cá.
Chega de frear a economia para segurar a inflação. No mundo inteiro se promove o desenvolvimento e a inflação é controlada. No Brasil se desestimula o consumo e a produção para obrigar, pelo arrocho, produtores e comerciantes a abaixar os preços por causa da baixíssima procura. Só que isso desestimula a produção, faz cair a oferta e, a longo prazo, subirem os preços novamente pela baixa oferta.
A indústria, desestimulada, não investe em tecnologia. O brasileiro, endividado e com o dólar alto, não importa os produtos que deseja. Com o tempo, ficamos atrasados em relação ao resto do mundo.
Chega de crescimento negativo... chega de educação pífia... chega de nivelar por baixo... chega de tolerar corrupção desse governo porque a corrupção não foi inventada por eles... chega de propinodutos, mensalões e petrolões. Chega de quase 40 ministérios. Chega!
Se Temer vacilar, o tiramos de lá também. Agora é assim (eu espero). Ou faz direito, ou a porta da rua é a serventia da casa.
Macri, na Argentina, em poucos meses de faxina, melhorou muito o país. Espero que se espelhem nele.
Boa sorte Brasil, que venham dias melhores.

quarta-feira, 16 de março de 2016

Lula ministro

Essa coisa toda é tão ilógica e tão inacreditável que nem sei o que dizer...
O Brasil não deve aceitar isso calado, espero que não.
Por enquanto sinto só indignação e vergonha...
Lembrem-se do que escrevi antes...
O Brasil não aguenta esperar ate as eleições...

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Pessoas normais não curtem balada

Motivos pelos quais, normalmente, pessoas normais odeiam a tal da balada...
1. É caro... Entrada: 80 reais, cerveja long neck: 12 a 15 reais, dose de uísque: 25 reais, táxis: 50 reais.
2. É cansativo: fila quilométrica para entrar, fila enorme para ir ao banheiro, fila enorme para pagar a conta, fila para pegar um táxi na saída. E não tem lugar para sentar.
3. É barulhento. Sim, barulho, porque aquilo NÃO é música. Você, para conversar, tem que gritar no ouvido da pessoa.
4. Dificilmente a pessoa achará alguém interessante. Isso porque as pessoas que curtem balada ja tiveram seu cérebro parcialmente derretido por causa dos funks, axés e por causa das músicas absurdamente altas.
5. Não tem comida.
6. Você tem grande chance de ser furtado, uma vez que é gente demais se acotovelando e se espremendo.
6. Se você perder a comanda, terá que vender sua alma para pagar a conta presumida, mesmo sendo ilegal sua cobrança.
7. Se acontecer um incêndio, ou se você passar mal, ou se houver uma briga, tumulto etc., você tem grande chance de morrer, pois as saídas de emergência geralmente estão trancadas e permanecem assim para que ninguém saia sem pagar, e ainda porque qualquer motivo é razão para jovens brasileiros saírem pisoteando as pessoas.
8. Mesmo sendo um cara pacífico, você tem grande chance de se envolver em uma briga, por pisar sem querer no pé de um babaca, ou porque um retardado cismou que você olhou para a namorada dele.
9. Se for mulher, certamente você sofrerá algum tipo de abuso, passada de mão, assédio, tentativa de estupro...
10. Você passará horas ouvindo música ruim, sem poder fazer nada a respeito, pois as músicas são escolhidas por um retardado metido a dj...
11. Como começa depois da meia noite, você chegará em casa com o dia claro... não será ninguém nos dias seguintes, por falta de sono e ressaca...

Se depois disso tudo você ainda quiser ir pra balada, faz favor... não me chama, tá?

A forma petista de enfrentar a crise que eles mesmos criaram vai matar o Brasil

A manutenção da taxa Selic alta está matando a economia brasileira. E tudo isso para tentar manter a inflação sob controle de forma artificial, para evitar um fracasso eleitoral.
A taxa Selic é a taxa utilizada para empréstimos entre bancos, normais em operações overnight, que garantem o balanço líquido dos bancos igual ou superior a zero. Quanto mais caro para os bancos pegar dinheiro emprestado entre si, mais caro fica o crédito para o correntista, pois os bancos repassam esse custo para garantir seus lucros.
Com o crédito caro, ou seja com os juros altos, aumenta o endividamento, o que faz diminuir o consumo, diminuindo a procura por bens e serviços. Com a queda da demanda, a tendência é que os preços caiam, seguindo a lei da oferta e da procura.
Só que controlar os preços dessa forma sangra a indústria e o comércio, pois ambos sobrevivem do consumo.
Tudo piora com a receita do partido do governo para enfrentar a crise: aumento de impostos. O empresariado paga a conta e repassa para o consumidor, que consome ainda menos, aumentando a bola de neve.
O partido do governo não enxerga (ou pior, enxerga e não toma providência deliberadamente, porque prefere sacrificar toda a economia para segurar a inflação e não perder as eleições) é que se fizesse o contrário, ou seja, baixasse os juros e os impostos, a indústria e o comércio se reaqueceriam, haveria alta no consumo, uma inflação momentânea pelo aumento da procura, que logo se estabilizaria, pela reação dos empresários, que contratariam mais gente e aumentariam a produção e a oferta, baixando novamente os preços. Assim, com empresas fortes, cai o desemprego, diminui-se a crise.
Em 2014, pedíamos para não elegerem a Dilma porque o Brasil não suportaria mais 4 anos dessa sangria econômica.
A prova de que tudo o que se fazia era para segurar as coisas até a eleição e enganar os desavisados veio a galope, com a inflação, as pedaladas, a alta dos combustíveis e energia elétrica.
Dessa vez eu digo: a economia brasileira não aguenta até outubro.
Ou o desgoverno petista para de se preocupar com aumento de arrecadação e favorece a indústria e o comércio brasileiros, e para de sangrá-los para manter inflação baixa artificialmente e assegurar assistencialismo caça-voto ou não sobrará Brasil para juntarmos os cacos depois.

domingo, 10 de agosto de 2014

45 motivos para não votar no PT

01 mensalão
02 pasadena 
03 "eu não sabia" 
04 "assinei sem ler" 
05 empréstimo para porto em Cuba 
06 aeroportos em Cuba 
07 hidrelétrica na Nicarágua 
08 enriquecimento sem causa da família Lula 
09 valerioduto 
10 apoio a ditadura cubana 
11 apoio a ditadura chavista 
12 apoio a ditadura madurista 
13 apoio ao desastroso governo Evo Morales 
14 apoio ao desastroso governo Cristina Kirchner 
15 torcer pra Argentina na copa 
16 obra do Mané Garrincha custar 2 bilhões 
17 médicos cubanos não precisarem de nenhum exame que comprove suas aptidões 
18 dinheiro dado a Cuba pelo mais médicos 
19 inflação 7% ao ano 
20 crescimento do PIB de 1% 
21 apoio ao MST 
22 não realização da reforma tributária 
23 Ministério da Pesca 
24 número de ministérios (39) 
25 não investimento na indústria de base 
26 caos na economia 
27 Dirceu, Palocci, Genoíno, João Paulo Cunha e Delúbio
28 Toffoli e Lewandowski
29 Graça Foster
30 uso de computadores do planalto para adulterar artigos da Wikipedia 
31 quebradeira da Petrobras 
32 uso do DNIT para obras mal feitas e eleitoreiras 
33 supervalorização de estádios da copa 
34 obras inacabadas da copa 
35 exagero nos gastos públicos 
36 manipulação da composição do Supremo para absolver mensaleiros 
37 guerrilha virtual espalhando mentiras e ofensas 
38 chamar de coxinha quem critica o PT
39 politica externa deplorável 
40 acabar com o Mercosul 
41 decreto 8.243 
42 despreparo da presidente ao discursar 
43 uso idiota da palavra presidenta 
44 transposição do São Francisco, que não acaba, já custou o dobro e dura o triplo, não está nem perto de acabar... 
45 152 mil reais embaixo do colchão

segunda-feira, 14 de julho de 2014

À mais brasileira das europeias... um brinde!

A Alemanha fez da copa do mundo de 2014 uma grande história. Daquelas que se contam para os netos com orgulho, causando admiração.
Chegou ao Brasil e ficou no Estado da Alegria (ah, a Bahia!), interagiu, cativou, alegrou-se, dançou com os índios pataxós, criou um uniforme com as cores do time mais popular do Brasil. Preocupou-se em criar algo de bom entre ela e os brasileiros.  Mal sabia a Alemanha que lhe caberia a missão de ser nosso algoz, de nos trazer de volta ao tempo das vacas magras e à nostalgia de outros tempos, aparentemente tão passados e distantes.
Mas mesmo assim a Alemanha não conseguiu nosso ódio. Jogou contra nosso rival e, vitoriosa, seus jogadores declararam que jogaram, também, pelos brasileiros.
Tem como não ficar satisfeito com o título deles?  (noves fora a nossa eliminação,  é claro)
Mas a presidenta não ficou... preferiu torcer pelos odiosos rivais, que bradaram cânticos jocosos e provocações racistas contra os brasileiros. Tudo por causa de uma baboseira bolivariana que une pessoas de mente pequena na América Latina.
Enquanto isso, a Alemanha agradecia o apoio da imensa maioria dos brasileiros, e a mulher mais poderosa do mundo, sua chanceler Angela Merkel, batia palmas feliz pelo lindo gol de Mario Gotze ao lado da emburrada presidenta tupiniquim, que sequer disfarçou sua insatisfação. O mínimo que ela poderia fazer, como boa anfitriã, seria manter uma mesmo fingida neutralidade, mas não... deixou claro seu desprezo pela Europa e pelo mundo mais desenvolvido em troca de alianças espúrias com corruptos populistas fajutos e projetos de ditadores igualmente corruptos.
Infelizmente, apesar de a copa ter sido ótima,  a presidenta demonstrou, mais uma vez, que ela e seu partido não foram responsáveis por esse sucesso.

sábado, 12 de julho de 2014

Acaba amanhã! E que bom que acaba...

Eu fico chato em copas do mundo. Não foi sempre assim... começou em 1994, quando a imensa ansiedade de quem nunca tinha visto seu país campeão me arrebatou num êxtase e me fez chorar como uma criança com os gritos de "Acabou! É tetra!" do Galvão. Roberto Baggio me deu a maior alegria esportiva da minha adolescência. Naquela época era gostoso torcer. Todo mundo torcia. Não existia a seleção da CBF. Era o Brasil, em todo o seu verde e lindo pendão da esperança.
Anos depois choramos... diferente de Baggio, Zidane me deu uma grande tristeza. Éramos vencíveis e fomos vencidos. Aí comecei a ficar chato... intolerante.  Disseram que meu país, aquele pelo qual chorei anos antes de felicidade, teria vendido a copa. Brasileiro não aceita perder sem uma teoria da conspiração, tem que ser roubado, garfado, vendido. Nos acostumamos tanto a políticos corruptos e a cidadãos que querem levar vantagens no jeitinho que não admitimos que não venceremos sempre. Isso, por si só, é chato. Agora, os conspiracionistas conseguem ser mais chatos ainda.
Ganhamos em 2002, e pela primeira vez, vi uma nova chatice do futebol, os pseudointelectuais supostamente politizados que torciam contra o Brasil por causa do caos político e econômico da Argentina, e que diminuíam a vitória brasileira dizendo que a copa fora medíocre. Percebi que eu tinha me tornado um chato também... o do tipo intolerante que quer dar um murro em todo tipo de gente estranha que aparece em copas do mundo. Eu nunca vi um argentino torcendo pro Brasil e acho o inverso um absurdo.
Vieram 2006 e 2010 e as derrotas e os chatos que bradavam que aquela seleção não era o Brasil, que era a CBF etc me irritaram cada vez mais. Gente torcendo pelas seleções européias por causa da economia e da qualidade de vida daqueles países, gente que dizia que torcer contra era sua forma de protestar... na minha opinião era sua forma de irritar. Por que os jovens de hoje gostam tanto de irritar?
Gente dizendo que torce por seu time, não pelo Brasil... eu esperava a copa do mundo justamente para poder esquecer a rivalidade e poder comemorar junto com cruzeirense, atleticano, corintiano e flamenguista, não consigo entender...
Mas amanhã termina a copa em que mais me estressei na vida... "to torcendo pra Argentina", "a copa ta comprada", "a copa ta vendida", "Neymar é cai cai", "essa seleção não me representa", "se o Brasil ganhar o PT se reelege", "tudo é manipulado"... todas essas e mais algumas foram frases repetidas por pessoas que pareciam querer disseminar seu mau humor pelo mundo... e conseguiram, me contaminaram.
Termina a copa e eu com a sensação de que podia ter aproveitado mais, me divertido mais, sorrido mais. Torci, sofri, mas não me diverti o quanto podia. O hino que tocou e foi cantado à capela foi o brasileiro.  A bandeira era a brasileira. A pátria amada era o Brasil. Mas, infelizmente, muitos brasileiros me fizeram um chato intolerante que não curtiu essa copa como deveria.

terça-feira, 8 de julho de 2014

O jogo mais estranho que já assisti...

7a1? Quatro gols em seis minutos?
Ninguém imaginava. Acabou amargo o sonho de apagar cinquenta da memória.  Quatorze ficará lembrado de forma pior ainda. Já estou pensando que não é bom negócio fazer copas aqui no Brasil.
Sempre acaba em tragédia para nós.
Não sinto vergonha... nem sei o que sinto... nem sei se dá pra sentir alguma coisa... uma sensação insossa, sem graça, sem sabor...
Não dá para explicar, porque não tem explicação. Quem tentar é oportunista, engenheiro de obra pronta.
O Brasil, hoje, não é o melhor time do mundo... nem de longe, fomos cruelmente obrigados a admitir.
No fim, não foi a copa das copas... não tem como considerar a melhor copa uma que termina triste assim. É como um filme caro, de grande elenco, que tem um final sem graça...
Espero que não termine pior e certos hermanos não sejam campeões.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Joga por ele Brasil

Neymar, nosso melhor jogador, está fora da copa, por ter sofrido uma entrada criminosa que lhe rendeu uma fratura numa vértebra.
A imprensa mundial, que dizia que o Brasil dependia de Neymar, agora terá a chance de provar estar certa ou de ser sumariamente calada pelos outros 22 jogadores que nos restaram.
Não, não são 22 quaisquer.  Qualquer um deles seria titular nos melhores times do mundo. Têm toda condição de jogar sem ele, e mais, jogar por ele.
Por isso, Brasil, joga pelo Neymar. Vamos ser campeões para ele receber essa taça de presente pelos 4 gols, pelo espírito de querer ganhar e pela alegria. Não se abatam. Mostra a sua força Brasil!

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Você tem fome de quê?

O que leva um jogador cujo time está prestes a se classificar para a fase decisiva de um mundial a morder, pela terceira vez em sua carreira, um colega de trabalho, sabendo que provavelmente será punido por isso?
Estou procurando uma resposta. Não faz sentido algum.
Suarez é o melhor jogador do Uruguai, seu time depende dele, e ainda tinha muito a mostrar nessa Copa. Mas resolveu mostrar apenas seu lado selvagem ao desferir uma dentada no ombro do adversário, o italiano Chielini, no jogo desta terça-feira, 24.
Foi julgado, e está para ser anunciada eventual punição. Deve ser condenado, e talvez o Uruguai não conte mais com ele nessa Copa.
O que eu acho? Acho que deve ter punição sim. Agressão não pode ser tolerada, mesmo se quem agride é craque. Perde o espetáculo, mas perderia mais ainda se se fechassem os olhos para o que aconteceu.
A partir do momento em que se admite o uso do vídeo para punir atletas agressores, não há como ignorar.
Até porque a defesa do jogador adotou uma tese tão ridícula que praticamente significou sua confissão de culpa. Sugeriu que o italiano ja tinha uma lesão no ombro preexistente e que o mundo viu errado, que não houve mordida. Ok, somos todos alucinados e vimos coisas, devemos procurar psiquiatras e tomar remédios para alucinações, pois Suarez nunca mordeu ninguém, nem quando estava no jardim-de-infância. Francamente!
Mike  Tyson explica...

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Enquanto isso na Copa - 04...

Eles não aprendem, né?

Adiós España...
E agora quem poderá nos defender?
Mas hem???
Se deu mal...

terça-feira, 17 de junho de 2014

Enquanto isso na copa - 03


Notícias e imagens que você só vê na copa...
Tadinho do Fuleco...

Iogurte grego já foi melhor...
Eu mereço...
Professor Girafales, o senhor por aqui?
Esses aí vão comemorar o hexa mais que todo mundo...

A melhor copa de todas, não por causa do PT.



Não, não vou usar a expressão copa das copas, pois não suporto ver o governo brasileiro usar algo que não fez para fazer propaganda. Explico:

A imprensa estrangeira, que preparou as garras para encher o Brasil de críticas, recuou e já está considerando que a Copa do Brasil tem chance de se tornar a melhor de todas. Mas a imprensa estrangeira elege os motivos, e nenhum deles é de responsabilidade do governo brasileiro.

Um dos motivos é o número de gols. Outro é a boa atuação dos craques e resultados surpreendentes. Além disso, tem a grande procura pelos jogos pelo público,  que gerou estádios lotados. Tem também a interação do público, cantando hinos à capela e fazendo uma grande festa. Tem ainda as belezas naturais do nosso  país. Some-se a isso a hospitalidade, a alegria e o gosto por festas do brasileiro. Tudo isso está encantando a imprensa e os turistas estrangeiros, maaaasss...

Ainda apontam que o transporte público é horrível, que os aeroportos são péssimos, que a mobilidade urbana é deficiente. Os estádios ainda têm problemas e ainda foram superfaturados, os protestos são pequenos em vista do que se esperava, mas ainda incomodam, o povo não está feliz com o governo e resolveu receber bem os visitantes apesar disso.

Perceberam? Não há um só motivo para o sucesso da copa que seja mérito do governo petista. A copa será um sucesso por causa do Brasil, não por causa do PT.

Enquanto isso na copa - 02

Imagens e notícias que você só vê na Copa 2014... Descobertos criminosos do tráfico internacional de doce de leite... c* de bêbado não tem dono, hem... Ahhhhhh... e eu tava pensando em perguntar a eles... Adianta não, irmão... o Papa é argentino e Deus é brasileiro... Holandês voador... Pula, Fred... Vai, Fuleco...

domingo, 15 de junho de 2014

Enquanto isso na Copa...

Imagens que você viu ou gostaria de ver na copa... ou não...

domingo, 1 de junho de 2014

Vai Brasil!!!

EU VOU TORCER PARA A SELEÇÃO BRASILEIRA! DÁ LICENÇA? Parece que nessa copa a gente tem que pedir licença aos pseudointelectuais de plantão para poder torcer pelo Brasil. Já estou planejando assistir os jogos sozinho em casa para não ter que ouvir as pérolas: "Tá tudo armado pro Brasil ganhar" "O PT já comprou a copa" "A FIFA vendeu a copa pro Brasil" "Estão pagando a copa de 98" "A CBF não me representa" "Tô torcendo pra Argentina" (aaaarrghhhh... essa dá vontade de esmurrar o retardado) "Se o Brasil ganhar o PT ganhará a eleição" "Essa é a copa da corrupção" "o Brasil só ganha roubado" Sinceramente? Encheu! Não aguento mais ouvir isso. Nem quero discutir o mérito de nada... só quero torcer pra seleção do meu país. Fodam-se os politizados pseudointelectuais do Facebook. Vocês é que não me representam. Vai Brasil!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Branco no réveillon: tradição ou superstição?

Sou católico. Posso usar branco no réveillon? Claro!....   Sou obrigado a usar? Não mesmo!

Tenho visto muita gente se prender a superstições e esquecer até de se perguntar, quero mesmo fazer isso?

Comer lentilha, pular sete ondas, comer uvas, usar branco, usar roupa íntima amarela para dinheiro, vermelha para paixão etc., sair da missa e levar oferenda a iemanjá....

Ninguém percebe o tamanho da tolice? Se um alien (sei lá se existem) chegasse aqui na hora do réveillon, iria embora correndo... Vai que loucura pega.

Então quer dizer que você pulou onda, comeu lentilha, uva, romã, usou branco com cueca/calcinha amarela a vida inteira e continua pobre.... E continua fazendo isso por quê?

E o que é pior... Se incomoda com quem não quer fazer isso.

Já usei preto no réveillon, e já usei branco, já usei muitas cores, mas nunca acreditei que aquilo mudaria algo em minha vida, simplesmente porque a cor da roupa ou o que eu como absolutamente não têm nenhum poder. Não percebem como não faz sentido?

Acredita quem quer, mas é dar muito poder a coisas, comidas e cores.

Eu, no réveillon, peço a Deus para me ajudar a ser melhor, agradeço o que tive de bom e tento refletir sobre os erros que cometi. Agora, crer num tipo de determinismo do universo favorável a quem pula sete ondas, isso é insulto demais à minha inteligência.

Podem me ver comendo lentilhas, não pela prosperidade, mas porque gosto. Podem me ver na praia, mas se me verem pulando onda, vão acudir, porque estarei tão bêbado que é perigoso eu me afogar.

Sou cristão, e se sou cristão, não posso acreditar em iemanjá. Percebem? Ser cristão é uma coisa, ser ubandista é outra. Ambos merecem respeito, mas acreditam em coisas diametralmente opostas. Você até pode acreditar em Cristo e iemanjá, mas não pode dizer que é Cristão e Ubandista. Ou é uma coisa ou outra. Acreditar não é ser.

Quer uma dica? Use no réveillon uma roupa limpa, de qualquer cor, e tome banho. Você provavelmente dará e receberá abraços, e ninguém merece abraçar gente fedida. Coma o que quiser, principalmente o que gostar. Beba o suficiente para não ser inconveniente e não estragar a festa dos outros e, se quiser prosperidade e riqueza, trabalhe ou jogue na mega sena da virada, que comer lentilha e pular onda vai continuar a não adiantar.

Aí podem perguntar: mas você não acredita em nada? Acredito... Acredito em Deus, e na infinidade da ingenuidade humana (pra não dizer burrice, ops.... Falei!).

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Você é eleitor ou militante?

Militância política me irrita.

O próprio nome: militância, tem origem etimológica ligada a militar, ou seja, quem defende algo sem questionar, cumprindo ordens também sem questionar, ordens estas vindo de pessoas que igualmente nunca serão questionadas.

O militante não defende a verdade, defende seu partido.

Não há corrupto no partido do militante, só nos outros.

Se processado, o membro do partido do militante é injustiçado, se preso é "preso político".

O povo elege uma esperança de dias melhores ou mesmo com base no medo da mudança. O militante quer o membro do seu partido no poder.

O povo não tem partido. Para o povo, não é o partido que vence a eleição. Para o militante, quem vence é o partido.

O povo vota na esperança do fim da miséria, no desejo de educação e saúde para os filhos, no anseio pelo fim da fome, no sonho de pagar as dívidas.

O militante não, esse vota no partido ou em quem o partido mandar e ponto. Não pensa e nem vai pensar em quem deve votar. E pior, zomba de quem pensa.

Diz que quem não fecha com o partido dele foi manipulado pela mídia, chama de burguês, mas é incapaz de notar que foi pré condicionado a pensar que todos do seu partido são honestos e todos da oposição são corruptos.

Já ouvi, pessoalmente, pessoas dizerem que "não existe" ninguém honesto em determinado partido. Essas mesmas pessoas, quando perguntadas sobre casos de desonestidade descobertos em seu partido, repetem sem parar: "mas e os casos do outro?"

Lógico que isso me preocupa. Pessoas perdendo a capacidade de autocrítica quando o Brasil mais precisa disso... É preocupante.

Um militante de qualquer partido tem todo direito de discordar da ideologia de alguém, até de desconfiar de sua honestidade. Agora, considerar errado e desonesto todo mundo que não pertence ao partido dele? Será que eles acreditam nisso mesmo?

E militante não é só quem vai às ruas com camisas e bandeiras do partido. É todo mundo que não sabe em que pessoa vai votar na próxima eleição, mas sabe que será no candidato do partido.

Se você ainda não sabe qual número digitará na urna, parabéns, você é um eleitor que quer se decidir pelo melhor candidato.

Se você sabe, de antemão, o número do seu voto, mesmo sem saber o nome que aparecerá.... Sinto muito. Infelizmente você é um militante e tudo o que eu disse acima se aplica a você.

E como votar na pessoa certa?

Também me pergunto isso, e a primeira coisa que eu penso em fazer, para tentar melhorar, é tentar, a todo custo, alternar quem está no poder. Tem 4 anos para fazer. Não fez? Não terá outra chance... Então, a partir de hoje, não reelejo ninguém. Seja quem for  de que partido for, receberá meu voto apenas uma vez.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

É Jesus!

Na época de faculdade eu fiz alguns sonetos. Não sou poeta, mas penso que não ficaram ruins. Eis um deles:

É Jesus!

No momento da tristeza,
Só consigo ver a cruz.
Não enxergo a beleza,
Fecho meus olhos à luz.

Mas por mais que eu me entristeça,
Ele ainda me conduz.
Não permite que eu pereça,
Mesmo eu não fazendo jus.

E devolve-me a calma.
Diz: Entrega-te de corpo e alma.
Não perca de vista a cruz.

E, ficando firme em meu posto,
Enfim vejo seu rosto...
Sim, seu nome é Jesus!

Leo Chain.